Maio

Maio. Do latim māius, o mês de Maia. Uma deusa que os romanos emprestaram dos gregos e associaram com palavras nativamente latinas, como maius/maior (maior). E com essa associação, Maia passa a ser a personificação do crescimento, especialmente o crescimento aparente da natureza que ocorreria na primavera, no mês de... Maio.

Aqui, no Hemisfério Sul, maio não significa primavera mas outono; entretanto,  ainda assim, Maia lembra de nós e presenteia-nos com coisas como...

Pinhão

Pinhão. Que seja na chapa ou mesmo só cozidinho na pressão, é lazarento de bom.

E, falando em romanos e pinhão, parece que o Apício (autor de De Re Culinaria, livro romano de receitas) usava uma semente bastante parecida para a sua isicia omentata... que era uma espécie de hambúrguer (ou talvez uma porpeta achatada?) da época.

Tive a curiosidade de testar a receita em casa, e deu certo. Segue a minha adaptação.

(Sem garum ou outros temperos comuns da época, que não seriam do agrado da maioria de nós hoje em dia...)

Ingredientes: 500g de carne moída; uns 200g de pinhão já cozidos, descascados e cortados em pedacinhos; um pão amanhecido que foi molhado no vinho branco; um pouco de vinho branco; pimenta-do-reino e sal. Se quiser, alguma erva, vai do teu gosto.

Preparo: misture tudo exceto o pinhão até ficar homogêneo. Adicione os pedacinhos de pinhão, molde em hambúrgueres, e ponha no forno pré-aquecido médio até assar.

|

Comentarios

Escreva um comentário

Desea usar sua foto? - Inicie sua sessão ou Cadastre-se grátis »
Comentários a este artigo no RSS

Comentarios recientes

Cerrar